É um espaço de reflexão sobre a prática sindical com perspectiva crítica, libertadora, continuada, multidisciplinar referenciada no Projeto Alternativo de Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário (PADRSS); na Política Nacional de Formação (PNF) e no Projeto Político Pedagógico (PPP). É articulado a uma estratégia de multiplicação criativa, que visa alcançar as organizações sindicais de base e fortalecer as lutas dos sujeitos do campo, da floresta e das águas.

CAMINHOS DA FORMAÇÃO

O ENAFOR é um encontro de formação política do Movimento Sindical de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (MSTTR) que, desde 2005, vem sendo realizado para refletir e impulsionar seus processos formativos.
O 1o ENAFOR - Construindo uma Política Nacional de Formação objetivou inventariar, avaliar e refletir sobre as experiências formativas desenvolvidas até então, e a partir delas, formular as bases da Política Nacional de Formação (PNF), do Projeto Político Pedagógico (PPP) e propor estratégias de funcionamento da Escola Nacional de Formação da CONTAG (ENFOC). Nos debates “por que e para que uma escola” buscou-se entender quais eram as pretensões do MSTTR ao deliberar, durante o 9o Congresso, pela criação de uma escola própria da CONTAG. As reflexões transcorreram em torno dos objetivos, finalidades, público, e como a Escola deveria contribuir com o fortalecimento da ação sindical a partir da formação política de lideranças de base, dirigentes e assessores (as).
Tanto a PNF como o Projeto Político Pedagógico (PPP) assume a matriz da educação popular como teoria e prática educacional que tem como referencial político-pedagógico, a humanização e emancipação dos sujeitos do campo, desde sua posição de classe trabalhadora. A partir dessa concepção reflete a importância das lutas em favor da justiça social, questionando as teorias pedagógicas instrumentalistas, restritas à formação de competências, apresentadas pela visão neoliberal como única saída à educação da classe trabalhadora.
No dia 14 de agosto de 2006, a ENFOC foi inaugurada com a realização do 1o Curso de Formação Política (1a Turma) e desde então, tem atuado por meio de um itinerário formativo que contempla atividades em âmbito estadual, regional e nacional com atividades intermódulos nos municípios e comunidades, articuladas por tempos: escola e comunidade, através de uma estratégia de multiplicação criativa, que se efetiva com a organização de Grupos de Estudos Sindicais (GES) nas comunidades rurais, assentamentos e acampamentos da reforma agrária.
Pautando-se por “desenvolver processos formati- vos continuados numa perspectiva crítica, libertado- ra e transformadora”, consolidou-se uma estratégia que articula a formação política e a capacitação em temas específicos da agenda sindical em um mes- mo referencial pedagógico, construído em diálogo com os sujeitos - homens e mulheres do campo, das florestas e das águas de diferentes gerações.
Atenta às demandas e necessidades desses busca- se, na pluralidade de culturas e ideias, estimular leituras amplas sobre a vida no campo, suas dinâmicas e potencialidades em que se situa o contexto de lutas da classe trabalhadora.
Realizado em outubro de 2008, era preciso con- tinuar o debate e identificar como a formação es- tava chegando até a base e como as pessoas en- volvidas enxergavam e sentiam as experiências de formação. Este ENAFOR voltou-se a refletir sobre os referenciais políticos, pedagógicos e me- todológicos da PNF, partilhar vivências e contri- buir para reapropriação crítica das experiências formativas do MSTTR, conhecer e socializar os desdobramentos da estratégia ENFOC em todo o país e discutir como estava se dando a criação dos Grupos de Estudos Sindicais (GES). Afirmou os referencias políticos e pedagógicos e formu- lou ideia-forças problematizando-as na perspec- tiva da formação do MSTTR.
Realizado em 2011, contou com ampla represen- tação de lideranças e dirigentes de base e ganhou novos contornos com o dinamismo dos espaços de formação inspirados na prática dos educadores e educadoras populares, que atuando em Rede, passaram a realizar cursos de formação de base em vários lugares e participar do processo de or- ganização e realização do ENAFOR, criando es- paços favoráveis à partilha de suas experiências. A Rede assumiu, de fato, o seu papel de corres- ponsável, trazendo maturidade e ousadia ao pro- cesso coletivo.
E assim o ENAFOR foi dando vida a ENFOC e, esta por sua vez, foi resignificando o propósito do ENAFOR, compondo-se em espaço que embala sonhos, que aproxima as pessoas, que faz acon- tecer processos formativos coletivos e criativos que constroem novos e revolucionários saberes. Saberes da terra, saberes do povo corajoso e ávi- do de um novo tempo, de um novo mundo. Saberes de uma prática coletiva que fez brotar a Rede de Educadores e Educadoras Populares da ENFOC. Rede é “prática e estratégia de resistência, experiência num presente que traça o futuro, vontade materializada em ação, valorização do ser humano e afirmação de princípios de reciprocidade, complementaridade, inclusividade e solidariedade”. Afinal, atuar inspirados pela educação popular requer estar aberto à convivência com o diferente, pois cada processo é singular e cada educador e educadora é único, e é isto que faz com que os espaços formativos se tornem mais completo. Cada processo desenvolvido se complementa de novas descobertas e novos saberes. Os passos da ENFOC se fazem por muitos caminhos nutrindo um único sonho – o de construir um mundo mais humano, justo, includente e amoroso. Vivenciar tudo isso significa tornar visível nossas raízes, construir vínculos identitários com o que fazemos e desejamos ver transformado no mundo.
O 4o ENAFOR, em 2014, faz ecoar a pergunta “Formação de Base para quê?” reafirmando a formação de base como um dos mais nobres compromissos que podem garantir as transformações estruturais que o Brasil necessita. Uma formação que tem na educação popular, sua concepção e prática educativa transformadora e libertadora, assim como define a Política Nacional de Formação. Com o olhar para os processos de formação de base orientados pela agenda de compromissos do Encontro anterior, discutiu-se sobre o alcan- ce dos processos de formação junto à base e que mudanças tem promovido nas organizações sin- dicais. Debateu-se o tipo de formação capaz de contribuir com a elevação da consciência crítica e deu visibilidade à diversidade e amplitude de práticas articuladas às várias recriações estraté- gicas derivadas do processo formativo da ENFOC. Também foi elaborada uma agenda de compro- missos contemplando as várias frentes de atua- ção do MSTTR debatida no 5o ENAFOR.

Escola Nacional de Formação da CONTAG (ENFOC)

Lugar de Transformação Política

A Enfoc é uma escola de formação político sindical, constituída em 2006 para assumir a formação das lideranças do Movimento Sindical de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais - MSTTR, contribuindo para que esse pense e repense, criticamente, os rumos da luta, a organização sindical, as práticas sindicais, o seu projeto político, articulado aos temas do cotidiano sindical, em uma perspectiva de valorização da pluralidade de idéias, a construção coletiva do conhecimento, a autocrítica, a troca de experiências e a partilha de saberes e fazeres.

A Enfoc tem desempenhado um papel central na formação político-pedagógico, com os princípios da Educação Popular.

As publicações da ENFOC são resultados da construção coletiva da Rede de Educadores e Educadoras Populares da ENFOC, a partir da estratégia de Sistematização de Experiências, uma prática pedagógica de construção coletiva do conhecimento referenciada na educação popular. A sistematização ocorre ao tempo que acontecem os processos formativos, o que permite aos educandos (as) refletirem sobre suas aprendizagens e sobre a estratégia da ENFOC.

Quem é a rede?

Download

La Piragua - CEAAL

Download

Jornal da CONTAG - Número 137 - Agosto de 2016

Download

GES - Semeando fazeres e saberes em comunidades rurais - Volume 2

Download

Veja mais publicações

Menu Administrativo